Enquanto o Brasil começa a sentir com força a propagação do coronavírus e medidas de restrição do contágio do novo coronavírus, como suspensão de aulas, trabalho em esquema de home office e cancelamento de eventos públicos, passam a se tornar realidade, ficar em casa parece ser mesmo a única alternativa para os próximos dias. A quarentena, adotadas antes somente em países da Europa e China, deve chegar por aqui, principalmente para quem está no grupo de risco para a infecção do Covid-19, por exemplo, pessoas acima dos 60 anos de idade. Mas o medo de pegar uma doença sobre a qual ainda se sabe pouco e de conviver com situações como mercados de prateleiras vazias, ruas sem nenhuma alma viva passando ou isolamento involuntário não é nenhuma novidade para diversas tramas cinematográficas.

CONTÁGIO (2011)

Diversos filmes do começo dos anos 2000 abordaram o tema, entre eles, o drama com suspense “Contágio”, de 2011, estrelado por Matt Damon, Kate Winslet e Jude Law, além de Gwyneth Paltrow em começo de carreira. Dirigido por Steven Soderbergh (o mesmo da série “Onze Homens e Um Segredo”), narra como um vírus mortal se propaga pelos Estados Unidos deixando todos em alerta. Enquanto cientistas e autoridades tentam descobrir como controlar o andamento da contaminação, aeroportos, ruas, mercados, tudo vai ficando vazio. Mas aqui, a epidemia é altamente letal. A produção arrecadou mais de 135 milhões de dólares em bilheteria. Qualquer semelhança com as cenas dos últimos dias…

“EPIDEMIA – FORA DE CONTROLE” (1995)

Um dos primeiros filmes a abordar o assunto, este longa-metragem teve a bilheteria impulsionada pelo segundo grande surto de ebola na História, que começou em 1995 no Congo, na África. Dos 315 infectados inicialmente, 254 pessoas morreram. Na trama ficcional, um pequeno macaco capturado em uma floresta africana é traficado para uma loja de animais na Califórnia. Carregando um vírus mortal dentro de si (em alusão direta ao ebola praticamente), o animal selvagem dissemina a doença, que deve ser impedida de se propagar por um grupo de cientistas do Exército norte-americano. Estrelado por Rene Russo, Dustin Hoffman e Morgan Freeman, “Epidemia” arrecadou mais de 180 milhões de dólares em bilheteria.

“PANDEMIA” (2020)

A série documental da Netflix traz, em seis episódios, acontecimentos relacionados à diversas epidemias pelo mundo, passando pelo Influenza, nome científico da gripe comum, além do surto de ebola, gripe aviária, H1N1, entre outras. A história começa com a Gripe Espanhola, que chegou a matar milhões de pessoas no começo do século 20. Cientistas em busca de vacinas, médicos que tratam das doenças e especialistas em pandemia estão nos capítulos. Ninguém sabia que o coronavírus seria o vírus de contágio da vez, mas não se pode negar o timing bem-sucedido do documentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *