A embalagem a vácuo tornou-se uma das mais eficazes dentre as diversas formas de embalagens de produtos alimentícios industrializados. A conservação propiciada pela embalagem a vácuo protege os produtos alimentícios contra a deterioração provocada pelo oxigênio, bactérias, fungos e ressecamento.

O acondicionamento em embalagem a vácuo é um processo tecnológico de preservação de alimentos, que consiste na manutenção dos alimentos na ausência do ar, diminuindo o crescimento de microrganismos (fungos e bactérias), a ação enzimática e as reações de oxidação, principais mecanismos de deterioração dos alimentos.

A embalagem a vácuo não altera o sabor dos produtos, inclusive, seu uso visa a conservação de suas características originais de sabor, cor e textura, ou seja, o aumento do seu tempo de vida útil. Mas depende do processo utilizado e da tecnologia utilizada.

As empresas que utilizam este processo de embalagem ganham muitas vantagens:

– Redução de desperdício no estoque, na comercialização, e nas entregas: menos perdas e mais eficiência!

– Maior abrangência de distribuição dos produtos;

– Maior segurança e higiene alimentar;

– Controle da sazonalidade de certos alimentos;

– Facilidade na tarefa de preparação dos alimentos;

– Possibilidade de melhoramento das propriedades organolépticas dos alimentos;

– Eliminação ou redução do uso de conservantes;

– Melhor apresentação dos produtos, evitando o risco de contaminação no ponto de venda;

– Facilidade no manuseio do produto pelo consumidor.

O uso da embalagem a vácuo pode estender a vida útil de qualquer produto fresco perecível por três a cinco vezes o seu tempo normal de vida quando refrigerado.

Lembro que associando-se dois processos produtivos (sous-vide e embalagem a vácuo) o produto industrializado pode ser conservado por mais de dois anos.

Atmosfera modificada – Uma apresentação saudável e fresca
Este é um processo de embalagem que aumenta a vida útil do produto através da substituição do ar atmosférico ao redor do produto por uma mistura otimizada de gases capaz de controlar o desenvolvimento de micro organismos (fungos e bactérias), a respiração, a ação enzimática e a oxidação, mecanismos estes que acarretam a deterioração dos alimentos.

Deste modo, a atmosfera modificada confere muitas vantagens à produção:

– Eliminação de conservantes;

– Redução dos custos de mão-de-obra na preparação para a venda;

– Menores perdas de estoque atribuídas à deterioração;

– Conservação da cor, aroma e frescura dos alimentos.

Os dois tipos de Atmosfera Modificada: MAP x EMAP
No caso de uma embalagem com atmosfera modificada, a atmosfera natural existente na embalagem é substituída por outra apropriada ao produto embalado.

– MAP
A atmosfera é substituída por uma mistura de gases de proteção apropriados ao produto, para conservar sua forma, cor e frescor. Essa atmosfera é geralmente composta por dióxido de carbono, nitrogênio e oxigênio.

Alimentos frescos, produtos proteicos, pães, massas, produtos técnicos e alguns produtos médicos, podem ser embalados dessa maneira. As embalagens com MAP apresentam diversas vantagens: prolongamento da data de validade, garantia da qualidade, proteção contra contato manual e transporte do produto.

– EMAP
Numa embalagem EMAP ocorre a troca de atmosferas entre a embalagem e o ambiente graças a uma microperfuração na película da embalagem. Assim, consegue-se uma atmosfera modificada equilibrada.

Este tipo de atmosfera prolonga o prazo de validade para frutas e legumes frescos, sejam eles lavados ou mesmo já preparados, onde se descarta o uso de conservantes, além de permitir uma apresentação atrativa no local de venda.