álcool gel antisséptico é considerado um grande aliado contra as bactérias. Desenvolvido para o segmento da saúde, especialmente na prevenção contra infecção hospitalar, o produto começou a ficar popularizado quando a gripe A (ou gripe suína) apareceu, em 2009. Agora, com a pandemia de coronavírus, seu uso voltou a ficar extremamente em alta.

De acordo com um estudo da MindMiners, desde que a população começou a se preocupar com o vírus, atitudes como a lavar as mãos com mais frequência (68%), usar álcool gel (63%) e limpar assento/privada (15%), fazem parte do dia a dia de cada um. Desta forma, a compra de produtos de higiene pessoal e para a limpeza da casa, também cresceu bruscamente, resultando em uma corrida apavorante por álcool gel (83%), sabonetes líquidos (56%) e desinfetantes (45%).

Com a preocupação em se manter limpo e longe de uma contaminação, é importante ressaltar que não é qualquer álcool que pode ser utilizado. Para a higienização das mãos, somente os que possuem sua composição concentrada em 70%, propiciam a desnaturação de micro-organismos com grande eficiência.

Logo, independentemente de utilizar sabonetes antibacterianos ou sabão neutro, o mais indicado é que enquanto as pessoas estiverem em sua casa, lavem as mãos, e quando estiverem fora, aí sim optem pelo gel antisséptico. “No atual momento e diante da escassez de álcool gel, o uso do sabão precisa ser estimulada para trazer segurança à população que acredita estar segura só com o álcool gel e também para poupá-lo para situações emergenciais, onde não houverem pias, por exemplo”, ressalta o médico.

Então, lave as mãos sempre que possível e, principalmente, nestas situações:

Antes e depois de comer;
Depois de usar o banheiro;
Depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar;
Depois de tocar em animais e animais de estimação;
Depois de visitar qualquer espaço público e tocar em superfícies fora de casa.

E qual a melhor forma de lavar as mãos?

De acordo com a UNICEF (órgão das Nações Unidas), as orientações adequadamente são:

1º: Molhar bem as mãos e os pulsos com água corrente;
2º: Aplicar sabão neutro ou sabonete antibacteriano suficiente para cobrir as mãos e os pulsos molhados;
3º: Esfregar todas as superfícies das mão: os pulsos, as costas, entre os dedos,  as pontas e as unhas; o processo deve durar de 20 a 30 segundos;
4º: Enxaguar com água corrente até eliminar toda a espuma;
5º: Secar as mãos com um toalha limpa de uso individual ou descartável.

Isso impacta o meio ambiente ?

Toda ação gera uma reação. E no ecossistema que estamos inseridos não é diferente. Em meio à imensa preocupação em fazer uma higienização adequada, há dois pontos que também precisam de atenção: o consumo excessivo de álcool gel e a má conduta na hora de lavar as mãos.

Como lavar as mãos necessita de tempo e cuidado, é importante não esquecer de deixar a torneira desligada enquanto isso. Já em relação ao antisséptico, é relevante que cada um tenha conscientização sobre o material e não exagere.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *