Os anos 20 do século 21 prometem. A nova década chega com questionamentos extremamente existenciais e com dúvidas que acercam as novas tecnologias e padrões comportamentais que se iniciaram nos últimos dez anos. Com essas perguntas em mente, um time de experts e pesquisadores da WGSN se reuniu para formatar o estudo “20 trends for the 2020s“. Aqui você confere nossa seleção das principais tendências que provavelmente terão uma grande influência em como consumimos e interagimos em nosso cotidiano.

De acordo com Carla Buzasi, Managing Director da WGSN internacional, o foco da pesquisa é descobrir os produtos que serão demandados pelo consumidor na nova década. O que eles buscarão na hora da compra?

O “Boho” virou “Boro”

Devido às urgências das mudanças climáticas e ecossistêmicas, a moda já não é mais a mesma. Os especialistas enxergam um futuro onde faremos, consertaremos e reaproveitaremos roupas com mais frequência. O brechó não é apenas o novo cool, é o novo ético. Reaproveitar será o novo fashion e as marcas de moda trarão peças ainda mais atemporais e duráveis. Não é nada legal gerar poluição desnecessária, não é?

E essa tendência não se restringe apenas à moda. Todo e qualquer item que possa ser reparado e aproveitado terá seu momento. Se podemos usar novamente, não há a necessidade de consumir algo novo. E tem mais: de acordo com a pesquisa, os consumidores já estão adentrando este mindset há algum tempo.

Escolas de conexão humana

Nos novos tempos, além de dar um passo para trás na conexão exagerada que criamos com o smartphone, a previsão traz um cenário de sociedades evoluídas dispostas à reaprender como se conectar um com o outro. Talvez, uma grande oportunidade de negócio serão as “escolas de intimidade”, feitas para trazer o fator humano e físico das interações de volta aos relacionamentos sociais.

Vulnerabilidade é uma tendência. Estar aberto e mostrar-se vulnerável não é um defeito, aliás, marcas e produtos que já o fizeram obtiveram grande sucesso nos últimos anos. O consumidor busca identificação e para se enxergar, a perfeição impossível de antes agora é substituída por uma posição mais aberta, honesta e humana.

Home office fashion

Com a constante crescente de pessoas trabalhando de casa, as roupas passarão a acompanhar este padrão. Enquanto a parte do “quadril para baixo” se tornará mais confortável e funcional, a parte de cima trará o conforto com um design renovado nas golas e mangas, além de refletir a profissionalidade moderna. A moda trará soluções para quem quer ter estilo, conforto e uma aparência adequada para as reuniões via Skype.

A maneira de organizar o guarda-roupa também será um ponto chave em tudo isso. O consumidor estará mais disposto a organizar suas roupas de acordo com o nível de conforto ao invés de ocasiões e frequência de uso.

Comida congelada porém saudável

A comida congelada passará por um renascimento conforme os consumidores a transformam em uma alternativa conveniente de comer que também reduz o desperdício. Os consumidores que buscam por wellness já consomem frutas e vegetais congelados, assim como smoothies naturais e microingredientes nas dietas. Mesmo com a rotina corrida, o novo consumidor estará disposto a provar novos produtos congelados porém considerarão o impacto em sua saúde.

Nano-nadadores

A indústria da beleza está afim de entrar no DNA dos consumidores, literalmente. A previsão da WGSN é que microbots – pequenos robôs injetáveis – sejam responsáveis por entregar nutrientes no organismo humano. Além disso, essa nova tecnologia deve otimizar substâncias rejuvenescedoras em nosso organismo. Os nano-nadadores prometem ser ainda parte de uma crescente, que no fim da década deve ocupar a prateleira com produtos não invasivos. Será?

“Baixe o perfume anexo no e-mail”, oi?

Você não leu errado, até 2030 a previsão é de que fragrâncias possam ser transmitidas pela internet em formato de arquivo. O machine learning será capaz de analisar as estruturas moleculares das fragrâncias e transmiti-las em chats online. Essa deve ser a solução para o mercado de perfumaria que ainda conta com resultados maiores nas lojas físicas devido à impossibilidade de transmitir odores e sabores. Outros mercados devem se beneficiar da nova tecnologia. Tudo porque consumidores farão download de aromas terapêuticos para dormir melhor, além de outros usos, como por exemplo, a aromatização da casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *